Governo do estado pagou salários atrasados com recursos próprios, afirma CGE



A Controladoria Geral do Estado informou que o Governo do Rio Grande do Norte realizou o pagamento de folhas salariais atrasadas com recursos próprios. O comunicado foi feito após o ministro Fábio Faria afirmar, em discurso, que os pagamentos tinham sido feitos com recursos enviados pelo Governo Federal para o enfrentamento da pandemia de COVID-19 no estado.


A Controladoria lembrou que o governo Fátima Bezerra iniciou a gestão em 1° de janeiro de 2019, com quatro folhas de salários dos servidores em atraso, com débito líquido de quase R$ 800 milhões, a saber: 13°/2017, nov/2018, dez/2018 e 13°/2018. Além disso, herdou débitos de empréstimos consignados retidos dos servidores e não repassados aos bancos. Somente ao Banco do Brasil o débito era de R$ 102 milhões.


Em Ofício dirigido ao senador Jean-Paul Prates (PT), a Controladoria apresenta um relato dos meses, valores e fontes de pagamento das folhas atrasadas pagas pelo governo Fátima Bezerra.


Em junho de 2019, a atual gestão quitou o 13°/2017, no total de R$ 30 milhões, utilizando recursos próprios oriundos dos royalties. Ainda em 2019, em agosto, vendeu a conta da folha de pagamento dos servidores ao Banco do Brasil, tendo na oportunidade que pagar os R$ 102 milhões não repassados pelo governo anterior.


Em fevereiro de 2020, quitou nov/2018, no total de R$ 95 milhões, utilizando recursos próprios da arrecadação do ICMS e repasse constitucional do FPE. Em janeiro de 2021, utilizando recursos arrecadados do Super Refis, iniciou o pagamento do débito do 13°/2018, destinando R$ 90 milhões para quitar o débito com os servidores que ganham até R$ 3.500,00 líquidos.


Assim, aponta o levantamento que o Governo Fátima Bezerra já utilizou R$ 317 milhões da sua gestão para pagar compromissos com folha de pagamento em atraso.


Sobre receitas recebidas do Governo Federal vinculadas diretamente ao enfrentamento da Covid-19 na área da saúde, assistência e cultura, a Controladoria Geral do Estado aponta o valor de R$ 358,5 milhões, além de R$ 811,6 milhões para compensar perdas de arrecadação própria.


O órgão afirma que os recursos com destinação específica estão sendo aplicados somente em objetos relacionados ao enfrentamento da Covid-19, como prescreve a legislação.

Lembra que a aplicação dos recursos na área da saúde já está sendo auditada pelo Tribunal de Contas do Estado e pela Controladoria Geral da União, e este em todos os relatórios

publicados até a presente data atesta a regularidade dos processos de aquisição promovidos pelo Governo do RN.


O Ofício informa ainda que os gastos do Governo do RN destinados ao enfrentamento da Covid-19 estão disponíveis no Portal da Transparência do Governo do RN (transparencia.rn.gov.br). O Portal da Transparência obteve, em 2020, avaliações de ALTA TRANSPARÊNCIA em dois institutos internacionais: a Transparência Internacional e a OKBR.


Neste instituto, o Governo concluiu o ciclo de avaliação com a 5ª melhor nota e o 9° Estado mais transparente do Brasil, com nota maior que a do Governo Federal.


FONTE: Jornal Defato.com

Texto por: Maricelio Almeida

0 comentário