Novo campeão dos leves do Bellator revela que pensou em se aposentar antes de conquistar cinturão


Patricky Pitbull com o irmão Patrício, a esposa, os filhos e equipe após a conquista do cinturão — Foto: Divulgação

Por GE-RN - O potiguar Patricky Pitbull finalmente realizou o sonho de se tornar campeão mundial peso-leve do Bellator. Foram 10 anos e 23 lutas na organização até atingir o ápice na última sexta-feira, quando venceu o irlandês Peter Queally por nocaute no segundo assalto, durante o Bellator 270, em Dublin, na casa do seu oponente. O lutador disse que ainda não consegue acreditar que é o dono do cinturão dos leves.


- A caminhada foi longa, mas eu consegui. Ainda não caiu a ficha. Estou muito feliz com a vitória. Foi tudo perfeito pra mim. Fui no país do meu adversário, com a torcida toda a favor dele, e consegui vencer. Estou em êxtase, ainda não consigo acreditar que sou campeão. Estou aproveitando cada momento - falou.


Mas por muito pouco Patricky não realizou o seu sonho. Isso porque o potiguar passou quase dois anos "flertando" com a aposentadoria do MMA. Ele contou que, se não fosse a esposa insistindo que ele continuasse, teria pendurado as luvas.


Patricky Pitbull nocauteou Peter Queally no Bellator 270 — Foto: Divulgação

- Passaram muitas coisas pela minha cabeça antes de conquistar esse título. Eu pensei em me aposentar, durante quase dois anos eu só pensava nisso. Depois da luta no Japão, e também com a pandemia, eu fiquei muito desanimado. Briguei com a minha esposa várias vezes dizendo que ia me aposentar e ela falando que eu não ia parar - revelou.


- Eu falava que não dava mais, que não aguentava mais lutar e ela dizendo que eu era um guerreiro, que eu estava apenas desanimado. O pensamento de aposentadoria e de achar que não seria campeão mundial foram muito fortes na minha cabeça. Foram pensamentos que vieram constantemente, mas com o apoio da minha esposa, que insistiu muito, que dizia que eu ainda seria campeão, que eu, graças a Deus, não desisti - completou.


Outro fator que ajudou a motivá-lo a seguir em frente nos últimos meses foi a revanche contra Queally. Na primeira luta, realizada em maio, Patricky estava vencendo até sofrer um corte e ver o médico interromper a luta.


- Peguei também essa motivação de ser uma revanche e treinei como não treinava há muito tempo, exatamente por conta desses pensamentos. Essa revanche me motivou bastante, e com o cinturão em jogo, fiquei ainda mais motivado. Eu estava tão bem que eu sabia que seria campeão - contou.


Agora, com o cinturão, ele não pensa mais em aposentadoria. O objetivo a partir de agora é defender o título o maior número de vezes possível.

0 comentário