Rede Estadual aprova indicativo de greve e ato na Governadoria para reivindicar Piso Salarial


Foto: Reprodução / SINTE/RN

Os trabalhadores em educação da Rede Estadual de Ensino, em Assembleia Virtual conduzido pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (SINTE) do RN aprovou nesta quarta-feira (2), indicativo de greve na rede estadual e a realização de um ato público na sexta-feira, 04 de fevereiro, em frente à Governadoria, às 9h. O motivo, segundo site do Sindicato, foi pela falta de proposta por parte do governo do Rio Grande do Norte no pagamento do reajuste para o piso salarial, estipulado em 33,24% pelo governo federal.


Nesta quarta (2), o sindicato iria se reunir em audiência com o governo estadual, porém, a mesma foi adiada, devido a abertura do ano legislativo e discurso da governadora na ALRN. Durante sua fala na ALRN, a governadora Fátima chegou a afirmar que iria cumprir com o pagamento do piso. Entretanto, o Sindicato afirma que não recebeu nenhuma sinalização oficial do Governo.


Desta forma, ficou acertado que a categoria vai iniciar o movimento grevista em 14 de fevereiro, data prevista para a retomada das aulas no Estado. Isso, caso o Governo, até a data mencionada, não apresente uma proposta para implementar os 33,24% relativos ao Piso Salarial 2022.


ENCAMINHAMENTOS SEGUNDO O SINDICATO:

Todos os encaminhamentos apresentados durante a Assembleia foram aceitos pela maioria que participou. Ao todo, 93% dos participantes disseram sim, 4% votaram não, enquanto outros 3% se abstiveram. Veja abaixo as deliberações:

  • Indicativo de greve aprovado, com início da greve marcado para 14 de fevereiro, caso até essa data o Governo não apresente proposta;

  • Ato em frente à Governadoria nesta sexta-feira (04), às 9h;

  • Nova Assembleia em 07 de fevereiro, às 14h, para avaliar o cenário (se há negociação ou não/avaliar a audiência marcada para sexta, 04/02);

  • Veicular vídeo e spot em TVs e rádios;

  • Incluir na pauta o plano de carreira dos funcionários, a lei do tempo integral e a lei do porte das escolas;

  • Durante a jornada pedagógica comparecer de acordo com o cenário (protestar com cartazes);

  • Marcar reunião com as regionais e a categoria para mobilizar e fortalecer a luta, bem como recomendar que as regionais façam assembleias; e

  • Enviar ofício ao Governo do Estado comunicando as deliberações desta Assembleia.


Fonte: SINTE/RN

0 comentário