RN registrou 37 mortes de grávidas ou puérperas em decorrência da COVID-19



O número de grávidas vítimas da doença é maior do que por todas as outras causas juntas, os considerados óbitos maternos, que foram 28 neste período.


Esse grupo é considerado de risco para a doença e já tem a vacinação iniciada em alguns municípios. Em Natal, as grávidas e puérperas com comorbidades estão sendo vacinadas.


No início de maio, a agente penal Flávia Roberta do Nascimento Negreiros, de 33 anos, também perdeu a vida para a Covid-19 e deixou um bebê recém-nascido.


Esta última sexta-feira (28) marcou o "Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna". Por isso, a Maternidade Januário Cicco realizou um trabalho específico para saúde da mulher gestante, reforçando os cuidados que devem existir durante a gravidez e o perigo da Covid-19 para as futuras mães.


"As mulheres precisam entender que a Covid-19 é uma doença que mata. A mulher grávida tem outro parâmetro que pode comprometer essa doença, seja a deficiência da imunidade ou uma condição maior para ter trombose", disse Maria da Guia Medeiros, gerente de atenção à saúde da Maternidade Januário Cicco.


A especialista alerta ainda que, em caso de qualquer manifestação dos sintomas da Covid-19, a gestante deve procurar algumas unidades de saúde nos primeiros sinais.



FONTE E TEXTO: G1 RN

0 comentário