Trabalhadores de academias solicitam à Prefeitura de Apodi medidas emergenciais para o setor



Desde a publicação dos últimos decretos municipais que restringiram grande parte das atividades comerciais no município de Apodi, os profissionais de Educação Física vem enfrentando um verdadeiro malabarismo para lidarem com as dificuldades vivenciadas pelo setor. Além disso, teve o conhecido "Abre e fecha" de academias, boxes e estúdios de exercícios, no qual era autorizado o funcionamento e logo em seguida era exigido o fechamento imediato.


Considerando as dificuldades atuais e o último decreto municipal N° 380/2021, os trabalhadores do setor de academias e similares encaminharam nessa última segunda-feira (31) um ofício à Prefeitura Municipal de Apodi solicitando que seja providenciada uma previsão de flexibilização do decreto Nº 380/2021, permitindo que esses estabelecimentos voltem a funcionar com todas as exigências sanitárias. Importante destacar que o último decreto proíbe também a realização de atividades físicas em vias públicas.


Outra solicitação presente no Ofício é que seja analisada a possibilidade de criação de um auxílio emergencial para os profissionais da área. De acordo com o documento, o auxílio seria uma medida para visar "a subsistência dos que dependem desse trabalho para prover seu sustento e estão impossibilitados de exercer suas atividades". Algumas cidades vizinhas, como Umarizal, criaram um auxílio emergencial municipal que deverá ser pago com recursos próprios para os trabalhadores e donos de bares, que estão impossibilitados de trabalharem. Até o presente momento, nenhuma iniciativa desse tipo foi criada no município de Apodi.


Por fim, os profissionais solicitam, no fim do documento, uma audiência junto ao gabinete do prefeito para que sejam discutidas alternativas que minimizem os impactos dos últimos decretos na atividade econômica desse setor.

0 comentário