Vereador Gilvan Alves desabafa durante a sessão: 'triste do poder que não pode'; entenda.



Durante a sessão ordinária desta quinta-feira (07), foi votado e discutido o Projeto de Lei nº 193/2022 de autoria do Poder Executivo Municipal, que solicitou a autorização para abertura de crédito adicional especial destinado para aditiva no valor de 101.683,00 mil reais, a primeira etapa do projeto de construção do novo cemitério público de Apodi "Jardim da paz".


Durante as discussões, os vereadores Alexandre Bevenuto (PT) e Gilvan Alves (Solidariedade), levantaram o debate acerca dos indicativos antigos de que o local escolhido para a construção do novo cemitério, seria inapropriado.


Além disso, o vereador Alexandre questionou o motivo de uma suplementação orçamentária, em um projeto de praticamente não foi iniciado, podendo, segundo ele, ser deixado um pedido como esse, para as fases finais da conclusão.


Em determinado momento da discussão foi enfatizado que, "o local, durante o período chuvoso, abreja". Aproveitando o ensejo, o vereador Gilvan Alves, fez o seguinte desabafo, confira alguns trechos:


"A cerca de dois ou três anos atrás, quando este vereador cansou de vir a tribuna, dizer que o local que queriam construir o cemitério era errado". "Eu pedi num foi nem uma, nem duas, nem três e nem quatro vezes não. Foram várias! E está gravado nos anais desta casa. Mas por uma questão de dizer que: 'triste do poder que não pode', vão fazer ali".


Confira o desabafo completo:

0 comentário